18 mar. 2012

Sampa 1



En San Pablo para dictar un seminario en la USP, y reencontrarme con dos viejos amigos y ex compañeros de estudios, los ahora célebres politólogos locales, Fernando Limongi y Ze Cheibub. Hacía mucho que no volvía a San Pablo, y por ahora sólo quiero referir la potencia extraordinaria de esta ciudad. Volveremos. Por el momento, Sampa por Caetano, a quien recordaba hoy, caminando de Ipiranga a Avenida Sao Joao

Sampa, de Caetano Veloso (http://letras.terra.com.br/caetano-veloso/41670/)
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas
Ainda não havia para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos mutantes
E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vende outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso
Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva
Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mais possível novo quilombo de Zumbi
E os novos baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa

6 comentarios:

DO dijo...

Que lindo, siempre escucho la canción.No conozco la ciudad, pero parece impresionante.
buen viaje

Anónimo dijo...

RG, podes completar el cuadro con un tema de criolo (hay una version con caetano)

Não existe amor em SP
Um labirinto místico
Onde os grafites gritam
Não dá pra descrever
Numa linda frase
De um postal tão doce
Cuidado com doce
São Paulo é um buquê
Buquês são flores mortas
Num lindo arranjo
Arranjo lindo feito pra você

Não existe amor em SP
Os bares estão cheios de almas tão vazias
A ganância vibra, a vaidade excita
Devolva minha vida e morra afogada em seu próprio mar de fel
Aqui ninguém vai pro céu

Não precisa morrer pra ver Deus
Não precisa sofrer pra saber o que é melhor pra você
Encontro duas nuvens em cada escombro, em cada esquina
Me dê um gole de vida
Não precisa morrer pra ver Deus

el disco lo podes bajar en www.criolo.net
vhg

Anónimo dijo...

les cuento que Caetano ama a Cristina me lo conto un muy buen amigo de él.
Lo siento por los que pueden ponerse nerviosos por esto.
saluditos
Adri

Anónimo dijo...

les cuento que Criolo ama a Lilita me lo conto un muy buen amigo de él.
Lo siento por los que pueden ponerse nerviosos por esto.
saluditos
Ladri

Anónimo dijo...

pobre Criolo ahora mismo quemo las entradas para el domingo, gracias por avisarme Ladri
Adri

Anónimo dijo...

Y, es asi nomas, uno no elige a quien amar!
vhg